CICLO DE HOMENAGENS: CIDADE DAS MULHERES 16/01

Cidade das Mulheres

"Subverto o nome da série brasileira e, dando continuidade às homenagens feitas a uma tríade de homens de sucesso, insisto nele, alterando uma palavra, para voltar a titular outro breve ciclo de homenagens. De facto estamos no Porto e não no Rio de Janeiro e os contornos das homenageadas assaz se diferenciam dos protagonistas fílmicos. Roubo-o porque me faz questionar se são as mulheres que erigem as cidades ou estas que erigem as mulheres. Roubo-o ainda porque quero manter uma linha de coerência entre aquela tríade de Cidade dos Homens e estas três Mulheres que agora vos trago, por forma a não ser acusada de parcialidade de género… Tento, pois, dentro do possível, manter o mesmo texto.

Quedo-me suspensa. Olho o Porto, esta cidade granítica resistente a intempéries físicas e morais, berço de gerações de ouro, sempre invicta, e a resposta foge-me. Penso, tenho a certeza que um nexo de causalidade liga estas virtudes às Mulheres de que vos falo. Também elas duras, graníticas, invictas “porém morrendo aos poucos de ternura." (Ary dos Santos).

Desta ternura a cidade se almou e deu, ao longo dos tempos, alento a quem a soube honrar. Por isso se sucederam gerações de notáveis que a notabilizaram também. Não vem ao caso nomeá-las pelo risco da omissão. Vem, sim, dizer que, hoje, a Árvore pela mão de Amândio Secca, sentiu necessidade de juntar três nomes a muitos outros que já nesta cidade e nesta casa foram alvo de homenagens.

Graça Morais e Maria de Sousa são nomes por demais ligados a esta cidade. Os seus currículos são os seus panegíricos. Cá ou mais longe o Porto foi-lhes sempre uma prioridade. Nada mais direi. Dirão sim, aqueles que, convocados, se prestaram, de imediato, a não calar verdades demonstrativas de que há também o Porto das Mulheres. São eles Manuel Sobrinho Simões, Artur Santos Silva, António Mega Ferreira, Afonso Pinhão Ferreira, nomes não menos insignes dos panoramas cultural e científico portugueses.

Ao fim da tarde, em clima de fraternidade, levados pela mão de Amândio Secca, que, com prazer coadjuvo, olharemos o rio – forma sublime de constatar o valor da Cidade e que é também das Mulheres."

ISABEL PONCE LEÃO

CICLO DE HOMENAGENS
CIDADE DAS MULHERES

Este breve ciclo de homenagens pretende relembrar ilustres mulheres portuenses que sempre estiveram presentes na edificação da cidade.

25 JANEIRO 18H00
GRAÇA MORAIS
ORADORES:
ANTÓNIO MEGA FERREIRA
AFONSO PINHÃO FERREIRA

8 FEVEREIRO 18H00
MARIA DE SOUSA
ORADORES:
MANUEL SOBRINHO SIMÕES
ARTUR SANTOS SILVA