Prémio Árvore – Residência Artística

O Prémio Residência Árvore foi instituído em 2019 e destina-se à promoção da Cerâmica como uma linguagem autónoma de criação artística contemporânea. Um dos objectivos desta iniciativa é apoiar a continuação do estudo ou do trabalho de criação e investigação dos artistas plásticos nesta área.

Em 2020 foi atribuído o Prémio Residência Artistica – JUSTMAD que nas suas edições tem um programa de residências artísticas direcionadas para a criação artística. Assim, após reunião com os elementos da direcção da Árvore – Cooperativa de Actividades Artísticas, CRL e com Semíramis Gonzalez, directora artística da feira de arte contemporânea JUSTMAD, que de decorreu no passado mês de Fevereiro em Madrid,  os mesmos deliberaram premiar  a artista francesa Louise Frydman.

Apesar do contexto em que vivemos, é com muita satisfação que acolhemos  a artista selecionada Louise Frydman na nossa instituição para a residência artística na Oficina de Cerâmica, a partir do dia 21 de Setembro e  até ao dia 3 de Outubro de 2020 com o nosso mestre da cerâmica Pedro Gil, e também com o apoio dos colaboradores da Árvore do departamento de actividades artísticas.

As peças produzidas na realização da residência artística, farão parte da exposição individual da artista nas salas 2 e 3 da Árvore   do dia 10 a 31 de Outubro de 2020.

Biografia (resumo)

Louise Frydman ,nasceu em Paris em  1989.

Formação pela ESAG – Peninghen em 2012 e em fotografia do Internacional Center of Fhotography de Nova York em 2013.

Esta jovem artista multidisciplinar,  desenvolve o seu  trabalho em cerâmica, mas também em  papel  este material é que a leva ao uso do barro, que se tornou o material preferido pela artista.

Memória descritiva  –  Louise Frydman

Pensando bem, gostaria de voltar minha atenção para esta residência para os Azulejos do Porto. Gostaria de contornar esse tema tão inspirador e relacionado à arquitetura da cidade.  Minha intenção seria criar telhas em volume, como baixos relevos, inspiradas nas formas e desenhos existentes nas fachadas das casas portuguesas.

Eu gostaria de aprender a técnica de telhas enquanto integrava minha maneira de fazer as coisas. Nesse sentido, eu gostaria de trabalhar apenas em esmaltes brancos. Companheiros, cetim, faíscas… e focar em formas e volumes.

Para a exposição, gostaria de poder apresentar uma grande composição de azulejos em uma parede.  Vou entrar no meu pensamento e enviar-lhe um arquivo bem trabalhado no verão. Espero que esteja atraído por esse projeto inicial.

Cooperativa Árvore © 2019. Todos os direitos reservados | Política de Privacidade